Mato Grosso é Douradinho


De vez em quando o Projeto Douradinho nos dá o privilégio de viver a experiência de cruzar um estado inteiro, sentindo pelo caminho as peculiaridades de cada região, as maneiras e costumes das pessoas, a mudança da paisagem. Na segunda turnê de encontros com o autor deste ano, partimos do extremo sul do Mato Grosso até o extremo norte. Foi uma aventura e tanto!


Em quase 3 semanas de trabalho, realizamos 30 apresentações em 17 cidades, onde estiveram presentes 3.741 alunos e suas professoras. Segue abaixo uma seleção do que encontramos de mais interessante para relatar dessa nossa vivência profunda no Mato Grosso.


Olha a onça!

Logo nos primeiros dias de viagem, vimos cruzar a estrada o que nos pareceu ser uma onça parda. As rodovias no Mato Grosso são linhas retas intermináveis. Era cedinho ainda, o sol tinha acabado de aparecer. Enquanto tentávamos espantar o sono da manhã, vimos lá longe uma sombra passar para o outro lado da estrada, uma sombra de onça.


2 Biomas queridos

Vimos e sentimos na pele a transição dos biomas do Cerrado para o Amazônico. Fomos do muito seco no sul do Mato Grosso, em uma época ainda com queimadas acontecendo, até a umidade da floresta Amazônica, com chuvas quase que diárias, no extremo norte do estado. E comprovamos como estes ambientes de transição de biomas são ricos em diversidade.


Animais na pista!

A diversidade de fauna conseguimos notar só de abrir os olhos. Nas estradas vimos passar araras coloridas e muitos outros pássaros desconhecidos, tamanduás, antas, cachorros do mato, queixadas, cobras, jacarés... Muitos deles, infelizmente, mortos por atropelamento.