Personagens - Língua Negra

April 18, 2017

A Língua Negra é a única personagem do livro “Amiga Lata, Amigo” rio que se enquadra na categoria de “vilão”, muito embora ela mesma afirme (e com razão) que sua existência seja de total responsabilidade do Ser Humano. Em boa parte do Sudeste brasileiro, chamamos de Línguas Negras os valões de esgoto que são despejados sem tratamento até o mar ou um rio, mas pode ser denominada de muitas formas em outras regiões do Brasil.

 

“_Mas onde você está? - respondeu o peixinho, que ainda não conseguia encontrar a tal Lingua Negra.

_Por toda parte… Se você não me vê, é porque já me enxerga. _ disse ela, com a voz grossa.”

 

Ela se opõe simetricamente à outro personagem que aparece mais adiante na narrativa: o vaidoso Afluente. Esta simetria é interessante, pois a Lingua Negra pode muito bem, em um passado distante, ter sido um limpo afluente do rio. Assim como este seu reflexo inverso, o Afluente, a Língua Negra se enquadra no arquétipo de “Guardião do Limiar”, figuras que se interpõem entre o herói e seu objetivo.

 

Com envenenadas palavras sedutoras - o que faz seu nome Língua Negra ter ainda mais propósito - tenta atrair o herói Douradinho para o caminho mais fácil: a desistência que leva à morte. Ela é a representação do pessimismo, da escuridão e do medo. Usa estes filtros para apresentar o “Ser Humano”, homens e mulheres, ao peixe Douradinho.  


Para a terceira edição da obra, o autor Thiago Cascabulho trabalhou melhor os momentos de fala da personagem Língua Negra, encurtando as sentenças e selecionando o vocabulário correto para criar um tom de imperioso cinismo a suas frases. “Sinto muita pena da Língua Negra... Ela se encaixa naquele perfil de pessoa que foi tão machucada pela vida que não consegue sair de dentro do próprio rancor. Como não consegue evoluir, virar a página, tenta atrapalhar o progresso dos outros.”, diz o autor Thiago Cascabulho.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload