Na casa do meu rio

O Projeto Douradinho chegou em casa! Finalmente volto a percorrer as cidades tão familiares para mim, onde estão muitas memórias da infância e do início da carreira como escritor. Em algumas escolas o livro Amiga Lata, Amigo Rio não era tão desconhecido, pelo menos as primeiras duas edições, já tendo sido usado por educadoras no passado. Aqui fiz este retorno ao rio Paraíba, onde o trabalho parece apenas começar novamente...


Escolhi o especial 05 de junho, dia do Meio Ambiente, para estar entre as cidades que primeiro me acolheram como escritor: Volta Redonda e Barra Mansa. Pela manhã estive nas escolas Amazonas e Mato-Grosso, conversando com 61 alunos do 4º e 5º anos. A tarde, já em Barra Mansa, fui até o Parque Ambiental receber mais 76 alunos. Nesta ocasião pode levar um convidado especial, o parceiro Bianco Marques, compositor e um dos autores da adaptação do meu livro para o teatro e para áudio-livro, para dar uma palhinha das canções do espetáculo; e receber um anfitrião igualmente especial, o meu amigo de infância e prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable.


Na manhã seguinte, ainda em Barra Mansa, mais 53 alunos foram ao Parque Ambiental. Depois, eu e o fotógrafo Ricardo Abrahão fomos até a prefeitura conversar com o Secretário de Educação e o Superintendente de Cultura sobre o andamento do projeto na cidade. Mais tarde, concluímos Volta Redonda, com duas escolas da periferia no bairro Roma I, com a presença total de 135 alunos.

Dia 07 de junho ficamos mais próximos do verde da Mata Atlântica, nos municípios de Resende e Itatiaia. Resende, a cidade do estado do Rio de Janeiro com o maior engajamento até o momento (19/06) me recebeu em festa e já com amostras das missões da gincana Play the Call realizadas. Estivemos com 279 alunos ao todo, e sempre bom acompanhados de representantes da Secretaria de Meio ambiente e Educação, o que considero o início de uma bela parceria para os anos que virão.


Ao fim do dia, chegamos à Itatiaia, na escola Campo Belo, que há 15 anos se mobiliza anualmente em projetos sobre o rio Acará, afluente de um afluente do Paraíba do Sul. Ali estive com 49 alunos do 4º ano, que me apresentaram uma música e diversos outros trabalhos a respeito do rio.


Na quinta-feira, 08 de junho, chegou finalmente a hora de fechar esta turnê maravilhosa. Voltamos pelo mesmo caminho que fizemos, passando por todas as cidades que nos receberam nas últimas semanas, ao longo da rodovia Presidente Dutra, até São José dos Campos e Jacareí. Por ali ainda faltavam realizar 4 encontros, que tivemos que realocar. Em São José, ao todo 205 alunos estiveram presentes nas 3 contações. Por motivos pessoais, a primeira do dia para mim foi muito especial, na Escola Pinheirinho dos Palmares, onde também pude me reunir com educadoras e explicar o projeto em detalhes.

Em Jacareí, na única apresentação que fiz no turno da noite este ano, para 50 alunos, entre eles a turma do EJA, aprendi que o peixe cascudo é muito resistente à poluição, e que pode ficar bastante tempo fora d’agua... Pelo visto a biologia do nosso herói pode tê-lo ajudado em sua aventura, juntamente com sua grande coragem em seguir, desconstruindo-se, aprendendo com os erros e acertos para construir-se cada vez melhor.